quarta-feira, 24 de março de 2010

Filmes de época


Tirei dois dias de folgas merecidas (que acabaram hoje) e tive tempo de assistir dois filmes de época muito legais. O primeiro, El Cid, é com a atriz Sophia Loren e só assisti para ver se ela era bonita de verdade (e era). O segundo - o mais legal - chama-se Quo Vadis e se passa na época de Nero. O ator faz um Nero muito engraçado, totalmente sem personalidade. Mas a parte mais legal do filme é a cena do suicídio de Petronius. Antes de morrer ele dita uma carta destinada ao imperador incendiário. Não sei o que é realidade e o que é ficção, mas o filme descreve Nero como um apaixonado por arte que se julga com bastante talento. E que queima Roma para se inspirar e compor uma canção. Olha que engraçada a despedida de Petronius:

"Ser nascido em seu reinado é um equívoco, mas morrer nele é uma alegria. Incendeie cidades, mate cristãos, cometa incestos, mas Nero, por favor, um conselho último: não mutiles mais as artes, suas operetas de segunda. Não envergonhes mais esta Roma amada que tu tentas destruir, e jamais te perdoarei por isso. Não componhas mais músicas, é meu último pedido. Adeus".

ps: Quo Vadis significa Para Onde Vais

segunda-feira, 22 de março de 2010

Insônia


Há algumas semanas comecei a sofrer com a insônia. Vou me deitar e o cérebro não desliga. Fica pensando na matéria que fiz, nos nós que vou ter de desatar no dia seguinte, nos projetos para o futuro que estão ficando cada vez mais deixados de lado... Nunca tinha sofrido com insônia, mas posso dizer que é uma coisa irritante. E que está comprometendo muito minha qualidade de vida. Sabe, eu devo ser a única pessoa no mundo que consegue ter pressão baixa e insônia ao mesmo tempo...São duas coisas que, teoricamente, não deveriam estar juntas. Mas como boa Pollyanna que sou, penso que se não fosse pela pressão baixa minha situação seria ainda mais periclitante. Para quem sofre do mesmo mal, vão aí algumas dicas que passarei a experimentar hoje.

- Evitar fumar e tomar café, chá preto, refrigerantes à base de cola e qualquer item que contenha cafeína ou nicotina
- Evitar refeições pesadas antes de dormir
- Fazer exercícios físicos, de preferência pela manhã
- Tomar um banho morno pouco antes de dormir
- Fazer uma refeição leve (por exemplo, leite ou derivados), pouco antes de dormir
- Evitar TV ligada, relógio, luz, barulho e qualquer tipo de distração dentro do quarto
- Se não conseguir dormir após 20 a 30 minutos, não fique tentando, saia do quarto e se distraia, lendo, por exemplo
- Nunca leve problemas, angústias e preocupações para a cama, tente resolvê-los ao longo do dia.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Aniversário do ami


Hoje é aniversário do meu grand ami Eduardo Sartorato, que quebrou o pacto e foi para Londres mais cedo. Como ele não está aqui para receber aquele abraço e o presentinho sem criatividade que todo homem recebe, faço uma singela homenagem. É ao estilo daquelas figurinhas Amar É..., só que vou trocar por Ser Eduardo É...

-
Ter um coração enorme, onde cabe todo mundo;
- Lembrar sempre dos amigos, mesmo quando estão a quilômetros de distância;
- Ser um líder natural;
- Ser extremamente determinado e alcançar todos os objetos aparentemente inalcançáveis;
- Estar presente nos melhores momentos da sua vida;
- Estar presente também nos momentos tristes, para oferecer o ombro amigo;
- Ocupar-se de todos os detalhes chatos de uma viagem, deixando que os amigos folgados apenas curtam o momento;
- Esconder bem o talento na cozinha, só revelando no último minuto;
- Fazer as macarronadas mais deliciosas que a Itália já inventou;
- Não ter frescura de sair apenas com o casal amigo;
- Procurar restaurante chinês em qualquer país;
- Viver sempre conectado na internet;
- Saber ouvir com atenção e interesse suas novidades;
- Não se incomodar com a pergunta clássica: "O que você conta de novo";
- Ser sempre fiel aos amigos;
- Ter paciência para ouvir 200 vezes a mesma história que a desmemoriada já contou;
- Ser legal, mas também saber ser bravo quando é preciso (já presenciei!);
- Te passar cola quando você é neófita em Política;
- Ter tantas qualidades que fica até difícil enumerar.

Então é isso, só um resuminho de suas inúmeras qualidades. E quero também desejar muitas felicidades e que você continue sendo exatamente como você é, só que com mais dinheiro e com o inglês na ponta da língua (rs). Feliz Aniversário!

domingo, 14 de março de 2010

Aprendendo

- Ontem participei de um curso interessante sobre Redes Sociais nas Eleições. Tinha até me esquecido como é bom aprender coisas diferentes. Toda vez que isso acontece surge uma imagem na minha cabeça: a dela sendo aberta a "marretadas" para caber algum tipo de conhecimento. Sei que é uma imagem estranha, mas juro que sempre penso nela. Fiquei realmente com saudade da faculdade, de estudar, me especializar em algo que, de preferência, será útil no meu dia-a-dia. Adorei o currículo da palestrante, que fez graduação em Engenharia e depois fez pos-graduação em Design Gráfico e agora é Doutoranda em Artes. Quero imitar!

- Uma pequena vitória que me deixou feliz um dia inteiro: consegui ler (e entender) meu primeiro livro em francês. É verdade que é edição super facilitada, mas é assim que a gente chega lá. O livro se chama La Reine Margot. E agora estou lendo um do Jules Vernes, o Autour de La Lune. Como adoro aprender francês! Só pela alegria já vale o gasto.

- Essa semana tive acesso a um relatório da empresa que traça o meu perfil profissional. Depois que li, trabalhei feliz da vida. Porque o meu perfil lá é bem legal. A minha principal característica profissional é a facilidade de lidar com as pessoas e a importância que dou aos relacionamentos. Quem me analisou acha que sou muito enturmada.

- Estava me lembrando aqui do dia em que o Fellipe e eu tentamos ser adultos, tomando café juntos no Bouganville (rs). Será que agora a gente já conseguiu?

sexta-feira, 12 de março de 2010

Da chegada do amor

(Elisa Lucinda, lendo meus pensamentos)

Sempre quis um amor
que falasse
que soubesse o que sentisse.

Sempre quis uma amor que elaborasse
Que quando dormisse
ressonasse confiança
no sopro do sono
e trouxesse beijo
no clarão da amanhecice.

Sempre quis um amor
que coubesse no que me disse.

Sempre quis uma meninice
entre menino e senhor
uma cachorrice
onde tanto pudesse a sem-vergonhice
do macho
quanto a sabedoria do sabedor.

Sempre quis um amor cujo
BOM DIA!
morasse na eternidade de encadear os tempos:
passado presente futuro
coisa da mesma embocadura
sabor da mesma golada.

Sempre quis um amor de goleadas
cuja rede complexa
do pano de fundo dos seres
não assustasse.

Sempre quis um amor
que não se incomodasse
quando a poesia da cama me levasse.

Sempre quis uma amor
que não se chateasse
diante das diferenças.

Agora, diante da encomenda
metade de mim rasga afoita
o embrulho
e a outra metade é o
futuro de saber o segredo
que enrola o laço,
é observar
o desenho
do invólucro e compará-lo
com a calma da alma
o seu conteúdo.

Contudo
sempre quis um amor
que me coubesse futuro
e me alternasse em menina e adulto
que ora eu fosse o fácil, o sério
e ora um doce mistério
que ora eu fosse medo-asneira
e ora eu fosse brincadeira
ultra-sonografia do furor,
sempre quis um amor
que sem tensa-corrida-de ocorresse.

Sempre quis um amor
que acontecesse
sem esforço
sem medo da inspiração
por ele acabar.

Sempre quis um amor
de abafar,
(não o caso)
mas cuja demora de ocaso
estivesse imensamente
nas nossas mãos.

Sem senãos.

Sempre quis um amor
com definição de quero
sem o lero-lero da falsa sedução.

Eu sempre disse não
à constituição dos séculos
que diz que o "garantido" amor
é a sua negação.

Sempre quis um amor
que gozasse
e que pouco antes
de chegar a esse céu
se anunciasse.

Sempre quis um amor
que vivesse a felicidade
sem reclamar dela ou disso.

Sempre quis um amor não omisso
e que suas estórias me contasse.

Ah, eu sempre quis uma amor que amasse.

Ps: Eu te amo muito

sexta-feira, 5 de março de 2010

Mordaça

Tudo o que mais nos uniu separou
Tudo que tudo exigiu renegou
Da mesma forma que quis recusou
O que torna essa luta impossível e passiva
O mesmo alento que nos conduziu debandou
Tudo que tudo assumiu desandou
Tudo que se construiu desabou
O que faz invencível a ação negativa

É provável que o tempo faça a ilusão recuar
Pois tudo é instável e irregular
E de repente o furor volta
O interior todo se revolta
E faz nossa força se agigantar

Mas só se a vida fluir sem se opor
Mas só se o tempo seguir sem se impor
Mas só se for seja lá como for
O importante é que a nossa emoção sobreviva
E a felicidade amordace essa dor secular
Pois tudo no fundo é tão singular
É resistir ao inexorável
O coração fica insuperável
E pode em vida imortalizar

quarta-feira, 3 de março de 2010

Da pá virada

Ai, como é bom chutar o pau da barraca! Decidi mudar de vida e hoje testei minha porção barraqueira. Light, é verdade, porque não é de um dia para o outro que a gente esquece a educação que recebeu em casa. Mas gostei dos resultados. O Rodrigo sempre me disse que eu seria mais respeitada se soubesse me impor. É verdade. E testei esse meu novo lado num momento clássico: o de cobrar os direitos como consumidora. Por que o Tese Concursos acha que eu sou obrigada a pagar por um serviço que não será prestado? Explico: estava fazendo um cursinho básico e decidi parar (no caso, eu queria fazer outro mais específico). Daí fui informada que os cheques que havia deixado lá seriam descontados, assistindo aulas ou não. Isso mesmo depois deles calcularem que minha dívida era menor do que os cheques deixados. Eles inventaram então uma fórmula: eu usaria o "crédito" em algum outro curso do Tese. Ou seja, eu seria obrigada a usar um serviço mesmo que eu não quisesse. Piada, né? Isso é contrato para lá de abusivo. O que eu sei que é minha obrigação é pagar uma multa contratual que deveria ser bem especificada, mas não sou obrigada a pagar por um serviço não prestado. Fica aqui a dica. E minha revolta. E minha alegria por ter chutado o pau da barraca. Muito bom!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Casamento...que romântico!....rs

Então é isso. O último solteiro resistente da família se casou no sábado. O amor está no ar!...hehehe. Meu irmão Murilo (que só eu posso chamar de Cirilo) se casou com a Tessália no sábado, numa cerimônia linda e cheia de amigos. O Rodrigo e eu fomos padrinhos chiquérrimos (e modestos). E aí, será que sirvo para ser colunista social?...rs. Muitas felicidades para o casal! Espero ter muitos sobrinhos para apertá-los....rs.