quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Feliz 2011!


Meus desejos para 2011 estão resumidos neste texto manjaaaado (rs), que dizem ser de Victor Hugo. Não sei se é verdade. Então, só para deixar um desejo exclusivamente meu, desejo que em 2011 você acredite nas coisas duvidando. Um pouco de fé e um pouco de ceticismo deixarão nosso mundo melhor. Feliz 2011!!!


Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.
Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.
Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Minha família é muito unida. E também muito ouriçada

Minha família é realmente muito peculiar - especialmente em seu lado musical. Basta dizer o seguinte:
- Ao cantar "Parabéns" para alguém, ela emenda as seguintes músicas:
"Essa pequena cruz\Será um relicário\Lembrará sempre o diiiiiiia de seu aaaniversário\E ao erguer essa taça (aqui todos levantam os copos com cerveja) Deus peça uma graça toda em seu louvor\Meu coração assim diz, serás muito feliz, parabéns meu amoooor\E nas minhas orações\Pedirei ao bom Deus\Muitas felicidades\Juntamente aos teus\Paaarabéns (todos gritam aqui) meu amooooor\Com saúde e alegria\Em teu aniversáaaario\Canto essa melodia:" Aqui entra "Parabéns pra vc", emendando com "É big, é big, é big é big é big\É hora, é hora". Tá achando que acabou? Para finalizar a família canta a seguinte canção: "Fulano será abençoado\Porque o senhor vai derramar o seu amor\Fulano será abençoado\Porque o senhor vai derramar o seu amor\(Aqui todos levantam a mão no gesto de abençoar) Derrama, Senhor, derrama, Senhor, derrama sobre ele o seu amor\Derrama, Senhor, derrama, Senhor, derrama sobre ele o seu amor." Perceberam que cada "Parabéns" da família dura no mínimo meia-hora?
- Mas daí estamos em noite de Natal. Então após o parabéns provavelmente estaremos perto da meia-noite. É quando minha família, católica e herege ao mesmo tempo, canta a singela canção (que muitos devem conhecer com uma letra digamos...mais propícia...rs):
"25 de dezembro quando o galo deu sinal\e nasceu o menino Deus\numa noite de Natal aaaaai aaaaai (aqui a família "uiva"...rs)\Santo rei levou marrucu, marrucu do Santo Rei\Marrucu do Santo Rei aaaai aaaai (sim, é isso mesmo que vocês leram)\Obrigado pelo café\Pelo pão bão da sua muié\Pelo pão bão da sua muié aaaai aaaaaiiiiii".
- A essa altura todo mundo, chegado numa cervejinha, está alegrinho. Aí eles vão cantar uma música (essa sim muito propícia) do Vicente Celestino chamada Ébrio. A letra é sobre um artista que alcançou "os píncaros da glória", mas um dia foi abandonado pela mulher, perdeu a filha, entrou em decadência e foi vaiado em pleno picadeiro de um circo. A versão da família inteira cantando é a melhor, mas como não tenho uma gravação deixo o próprio Vicente Celestino para vocês verem. E, só a título de informação, eu como boa representante dessa família Machado também sei cantar o Ébrio no violão, em uma versão que no dia em que eu estiver ébria mostrarei para vocês.


Ah, e isso aqui é sim uma homenagem a essa família que amo muito, muito, muito mesmo. Uma família muito unida e também muito ouriçada, que briga por qualquer razão mas acaba pedindo perdão..hehe.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Com o pé direito

* Amanhã minha vida volta ao normal. Depois de um mês de férias, pego no batente de novo. Também recomeço as aulas de natação, apesar do meu cabelo ser totalmente contra. E continuo a batalha para tirar minha carteira de motorista. Que tudo recomece com o pé direito!

* Fiz a primeira prova de direção no sábado. Sério, eu estou dirigindo muito bem. Mas eu sabia que minha memória iria falhar. Esqueci de dar a seta para entrar na baliza e demorei a passar para a segunda marcha. Mas a baliza e a rampa ficaram perfeitas. E eu estava muito calma, apesar da examinadora mal-humorada. Pelo menos ela tinha cara de honesta. Reprovei porque errei mesmo. E bola pra frente! (Ai, meu bolso...rs)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Ainda de férias

Já estou sentindo aquele gostinho (amargo) de fim de férias. E, como sempre, para finalizar com chave de ouro, estou em Pires do Rio. Sei que estou sumida dos amigos e tudo mais, mas a Lian tem razão: o celular é uma prisão. E viver livre dele durante as férias está sendo uma benção. Estou com vontade quase irrefreável de jogar o meu celular no Rio Meia Ponte. Mesmo que poucas pessoas me liguem, a possibilidade de ser encontrada no momento que eu não quero me enlouquece. Mesmo nas férias. Imagine então nos dias normais! Acho que celular deveria ter só duas utilidades: aguardar ser chamada para uma entrevista de emprego e para que o moço que você acabou de te conhecer te ligue, sem que você precise ficar colada o dia inteiro ao telefone fixo. E ponto.

Nesse finalzinho de férias aproveitei para comprar As Travessuras da Menina Má, do Vargas Llosa. Queria ter comprado esse livro há uns dois anos, mas fui enrolando, enrolando...e o cara ganhou o Nobel de Literatura. Resultado: paguei os olhos da cara pelo livro. Mas tudo bem, está valendo a pena. Aliás, tenho conseguido fazer nessas férias o que mais amo: ler muito e assistir filmes. Ontem assisti com o Rodrigo um filme chinês que é simplesmente maravilhoso: Lanternas Vermelhas. Lindo, lindo, lindo. Inspirou um espetáculo que está - ou estava - no Brasil. A protagonista do filme é a cortesã malévola e invejosa de Memórias de uma Gueixa. Que mulher linda.

Ah! Como ia me esquecendo?...rs. Também viajei nas férias, como todos sabem. Fui para Pernambuco e Alagoas torrar ao sol e estragar o cabelo no mar. Valeu a pena. Vamos aos conselhos: nunca, nunca, nunca visite Recife. Que me desculpem os recifenses, mas a cidade foi a maior decepção turística da minha vida. Feia, suja, mal-cuidada, só falta dizer ao visitante: vá embora. Não me senti nem um pouco acolhida. Meu irmão, que esteve por lá no início do ano, teve a mesma impressão. Em compensação, acho que Pernambuco tem as praias mais lindas do Brasil. E olha que de praia brasileira eu entendo: fui contar e descobri que conheço praias de 8 estados. Isso porque é apenas a segunda vez que tiro férias remuneradas na vida. De alguma forma a vida está sempre me levando para as praias do Brasil...rs.

Conheci agora Porto de Galinhas, Praia dos Carneiros e Maracaípe, que são maravilhosas. Águas calmas, quentes e transparentes. Gostei especialmente dessa última, que é quase deserta, tem um mar transparente e um fim de tarde fantástico, com o céu rosa claro. É mais ou menos assim que imagino o paraíso. O Rodrigo acha que é exagero, mas acho que passei ali um dos dias mais felizes da minha vida. Recomendo. Também estivemos (o Eduardo, nosso personal agente de viagens, estava com a gente) em Maragogi, em Alagoas.

Só mais uma coisinha antes de ir embora: semana que vem vou fazer a prova lá no Detran. Vou precisar de muita reza...rs. Até que não estou mal no volante, mas o nervosismo é sempre traiçoeiro. De modo que conto com as velas dos amigos.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Temas adultos

Demorou, mas finalmente chegou aquele momento em que as coisas de adulto me atraem mais que as coisas de criança. Não que tenha conseguido me livrar de minha paixão pelos desenhos da Disney (são fofos demais), mas é que temas adultos podem ser muito, mas muito interessantes mesmos. Comecei a pensar nisso depois que assisti o filme Uma Rua Chamada Pecado. O filme é simplesmente fascinante. Fiquei com vontade de ler a peça que o inspirou: Um Bonde Chamado Desejo.

Me dei conta também que estamos mesmo ficando cada vez mais infantilizados (tá, todo mundo já sabia, mas faltava a miiiinha percepção...rs). Basta ver os filmes e as novelas de hoje. Atualmente estão reprisando Vale Tudo e, puxa, quanta diferença! Em uma cena da novela o Reginaldo Faria (não sei o nome do personagem) falou para o filho que saiu com uma modelo linda e virgem. E olha o que ele falou: "Fui eu que abati". Alguém consegue ouvir uma frase dessa nas novelas puritanas de hoje? Aliás, porque o mundo parece estar ficando tão puritano? Ou é só impressão minha? Dizem que isso é um ciclo. Que uma sociedade puritana é seguida de uma "libertina", e que elas vão se revezando de tempos em tempos. Acho que é verdade mesmo.

Até um filme, que antes me parecia tão ingênuo, agora reparei que é mil vezes mais moderno que os que tenho visto hoje. ...E o Vento Levou, de 1939, tem a personagem totalmente amoral, que rouba, mata, engana, não respeita o luto, casa, descasa, mente, e ainda assim é absolutamente adorável. E ela não é a vilã! Aliás, até a "boazinha" do filme bate palmas quando Scarlet O´Hara mata um homem. (Já assisti esse filme zilhares de vezes e, para minha alegria, agora o comprei...hehee). São muitos os exemplos. Claro que existem filmes muito adultos hoje em dia, mas parece que eles raramente alcançam o sucesso que mereciam. Ou estou ficando doida?...rs.

E no fim de semana assisti a peça A Loba de Ray-Ban, com tema totalmente adulto também. E achei o texto da peça interessantíssimo. Quer dizer, gostei da peça como um todo, mas o texto é extraordinário. Há tempos não gostava tanto de ver uma peça. Podiam trazer mais peças desse tipo e menos daquelas bobeiras de comédia. Sério, as pessoas não se cansam de rir tanto? Aliás, porque elas riram tanto na Loba de Ray-Ban? Rir é ótimo, mas existem outras coisas boas também! (Continuo meio ranzinza e isso só vai passar com minhas férias).

sábado, 16 de outubro de 2010

15, 14, 13...

É a segunda vez que sonho com terremoto nos últimos dias. Pesquisei no Google, ó grande sábio, e vi que isso significa mudanças positivas na minha vida. Férias podem ser consideradas mundaças? Acho que sim, né? Um mês inteiro dedicado ao dolce far niente (relembrei essa linda expressão no filme Comer Rezar Amar). Na verdade não será beeeem um mês de fazer nada. Farei em novembro minhas aulas de direção, pretendo viajar e, se possível, fazer um curso legal (que pode ser de fotografia, culinária, tricô ou bijouteria). Faltam 15 dias! ;)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Lembrança


Já faz um ano desde a viagem que fiz com o Rodrigo e o Eduardo à Europa. E ainda penso nela todos os dias. O único jeito de me libertar será fazendo uma outra viagem tão perfeita quanto aquela. Mas não será este ano. Afinal de contas, não nasci rica. Para realizar cada sonho desse tamanho, é preciso muito esforço de minha parte. O engraçado é que para algumas pessoas uma viagem à Europa é algo corriqueiro. Para outras, é algo inimaginável. Então fico feliz pelo papel que me cabe, porque foi muito gostosa a sensação de ter realizado um sonho por causa do meu esforço. E que venham minhas próximas férias! (contagem regressiva).

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A vida perfeita

A vida perfeita para mim seria mais ou menos assim:

- Trabalharia meio período no período matutino;
- Teria dinheiro suficiente para me sustentar e financiar alguns luxos (como viagens);
- Moraria numa casa em estilo romântico, com muitas plantas, detalhes rosinhas e dois cachorros engraçados. Talvez eu teria um jabuti também;
- Teria um pequeno espaço na minha casa para tocar violão e fazer artesanato;
- Faria yoga e natação todos os dias;
- Estaria fazendo mestrado;
- Faria cursos de arte;
- Teria uma sala de cinema na minha casa cheia de filmes antigos;
- Nunca trabalharia em feriado;
- Meu cabelo estaria sempre brilhando.


...
Acho que só isso já seria ótimo.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Aviso: estou ranzinza

E agora me lembrei de uma coisa e tive vontade de ser ranzinza. Mesmo sentindo peso na consciência por ter acabado de falar de uma coisa tão linda como a Ana Laura. Mas vamos lá.

Gente educada sofre. Gente boazinha sofre. Gente com cara de boba também. Imagine então todas essas características reunidas. Claro, essa sou eu. Mas cansei de ser educada (com quem não merece). Cansei de ser boazinha (com quem não merece). Cansei de ter cara de boba (quanto a isso não posso fazer nada).

Porque se você é boazinha todo mundo vai querer pisar em você. Se você é boazinha, vão sempre desconfiar que há algo errado – resumindo, você só pode ser falsa. Porque ninguém nesse mundo cão pode ser bonzinho.

Pode até parecer, mas não estou falando de ninguém em específico. É só uma avaliação geral dos meus 29 anos de vida. E isso tudo só está me incomodando porque fiquei intolerante de uns dias para cá. Talvez o fato de trabalhar na editoria de Política em plena época de eleições tenha colaborado com meu estresse. Talvez. Ou pode ser falta de exercícios físicos e chocolate. Mas tenho a impressão é que estou enxergando melhor que antes. E vendo os defeitos alheios com lupa.

Eu avisei que estava ranzinza.

Ana Laura 2


Eu ia começar esse post compartilhando com meus parcos visitantes mais uma crise existencial. Mas de repente veio a imagem da Ana Laura na minha cabeça e desisti de ser ranzinza. Algo mudou...

Quem me conhece sabe que não tenho a menor intimidade com crianças. Não gosto de pegar no colo, não consigo dar mais de 5 minutos de atenção e realmente me irrito muito com choro e birra. Criança me angustia. Ou me angustiava. A Ana Laura está mudando meu jeito. Gosto de segurá-la no colo, penso muito nela durante o dia, fico ansiosa para estar por perto e faço planos...Acho esse sentimento todo muito exagerado, ainda mais porque sou só a tia! Mas ele nasceu assim, exatamente no momento em que vi a carinha dela...

Pronto, perdi a vontade de ser ranzinza por hoje. E prometo tentar mudar de assunto no próximo post.

domingo, 29 de agosto de 2010

Ana Laura

A Ana Laura nasceu! Linda, no dia 28/08, com 3,1 kg, 48 cm, cara de bravinha e muito fofa! Acho que estou apaixonada! (rs) Não pensei que fosse ser tão legal virar titia - melhor ainda, a feliz madrinha! Já me sinto co-responsável por ela e com vontade de atender todos os desejos dela! Daqui a alguns meses vamos fazer juntas natação para bebês. E, se tudo permitir ($), vou comprar uma motinha cor-de-rosa motorizada para ela. E fazer várias coisas! Estou muuuito feliz!...hehehe. Depois coloco fotinhas aqui para todos verem como ela é fofa!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Aniversário do Seu Zé


Uma pequena história antes das felicitações. O Fellipe se tornou um dos meus melhores amigos na faculdade. Mas, apesar disso, só se lembrava de meu aniversário cerca de duas semanas depois. Eu sempre jurava vingança. Mas nunca consegui me vingar. E também não será dessa vez! (rs). Porque gosto muito dele e estou mooorta de saudades!

Só para contextualizar os desavisados: o Fellipe é o amigo que "virou adulto" junto comigo. Verdade. Um dia resolvemos que seríamos adultos e fomos tomar café no Bouganville....haha. Foi ele também quem me obrigou a acordar mais cedo para escrever uma poesia com tinta na janela da faculdade. Enfim, chega de recordações. Só queria desejar a ele - que está a milhares de quilômetros daqui, convivendo com os "cordiais" espanhóis - muitas felicidades nesse aniversário! E eu não sou tão boa quanto ele com as palavras poéticas, mas ele sabe que no meu coração estou desejando muita coisa boa! Feliz "cumpre años!"

domingo, 15 de agosto de 2010

Rapidinhas

*Passei mais uma temporada longe do meu blog mas por um motivo justo: estava cobrindo as férias da Renata Tranches no Online. Adorei a experiência porque nunca tinha trabalhado com internet e sempre tive curiosidade - fora que acho que nosso futuro como jornalista está é aí -, mas ficar na labuta 10 horas por dia é muuuito cansativo. Muito, muito (rs).

* Estou lendo A Mulher do Próximo, mais um livro maravilhoso do Gay Talese. Engraçado que o livro fala sobre sexo de um ponto de vista absolutamente masculino, mas mesmo assim estou amando. O livro conta um pouco a história de pessoas revolucionárias que, com certeza, nos ajudaram a poder ter a liberdade que temos hoje. Pessoas totalmente do bem (rs).

* A tal da política fez uma revolução tão grande no meu ser que estou ansiosa pelo início da propaganda gratuita na televisão. Será que tem cura? É sério. Daqui pra frente tudo, tudo, tudo pode mudar. Ou não!...hehehe.

*Levando-se em consideração que trabalhei muito nos últimos 15 dias, não tenho novidades na vida pessoal. É óbvio! Ah! A não ser que a Ana Laura está quase chegando. E eu não vejo a hora de morder o pezinho dela.

sábado, 24 de julho de 2010

Carla Bruni - You Belong To Me with Lyrics

Uma música linda da Carla Bruni que eu ainda não conhecia. Sou a fã mais relapsa que essa mulher tem.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

"Gravidinhas"


A Helenbar já é uma velha conhecida no mundo virtual, mas eu não me canso de admirar as coisas que ela fez. Entre elas está essa imagem fofa da gravidez. As "gravidinhas", como a minha irmã, são tão lindas! Estou ansiosa com a chegada da Ana Laura. Vai ser tão bom ser titia! E vou levá-la pra fazer natação de bebê, e comprar presentinhos, e deixar para a mãe cuidar na hora que ela chorar. Que beleza isso!...rs.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Por que eu sou assim?

Puxa, o post anterior foi muito fora dos meus padrões mesmo. Nesse tempo que o deixei aqui oscilei entre a vergonha e a satisfação por estar conseguindo ser ao menos um pouquinho rebelde. Mas acho que não é muito minha praia mesmo não...rs. Sinceramente não sei o que acontece. Fui uma criança muito bem amada, meus amigos me amam, meu namorado me ama, até minha cadelinha me ama. Mas tenho essa coisa de querer agradar todo mundo sempre. Isso não é coisa de gente carente? Eu penso que sim. Mas o estranho é que eu não me acho carente. Nem acho que tenha motivo para ser. Então....por que é que eu sou assim?..hahaha. E principalmente: será que tem cura?...rs.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Fuck You

Tive uma ideia melhor: a de colocar essa música delicadamente rebelde aqui no meu blog. Sabe aquele momento em que você me irrita e eu sorrio porque não consigo ser nada além de muito educada? Dentro da minha cabeça eu estou cantando

Fuck you (fuck you)
Fuck you very, very much
Cause we hate what you do
And we hate your whole crew
So please don't stay in touch

(risadas malignas e ps: normalmente quem lê este blog não merece esta musiquinha. São amigos queridos que amo muuuuito. Mas, se por acaso, tem algum desavisado chato por aqui, essa música é para você)

Mais beleza

Sério, eu não aguento mais ligar a televisão e ver tanta tragédia. Foi minha percepção que mudou ou o mundo que está ficando cada vez mais bárbaro? Dá até medo de viver... Para não enlouquecer diante deste mundo louco, só buscando refúgio na beleza. Recentemente descobri que, mais do que arte, o que eu adoro são coisas bonitas. Por isso, em vez de pendurar uma "obra de arte" tenebrosa na parede do meu quarto, selecionei imagens lindas (algumas da era da reprodutibilidade técnica!...rs). São quadros com desenhos de locais turísticos e quadros caprichosamente pintados pela minha mãe. Na lista de coisas futuramente "penduráveis" ainda tem reproduções de quadros impressionistas. E tudo mais que eu achar lindo, por mais que "não valha nada" ou esteja fora de moda, entrará feliz na galeria do meu quarto. Ou aqui neste blog, como essas imagens maravilhosas que encontrei por acaso. O link está abaixo.

http://www.etsy.com/shop/TheBrilliantMagpie

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Nem sempre quero ser feliz

Talvez eu já tenha deixado esta reflexão por aqui. Mas acho que, quando algo faz muito sentido, vale a pena ser reforçado. E me desculpem mais uma vez, não sei quem é o autor da poesia abaixo.

Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso toma a infelicidade como a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e ervas...

O que é preciso é sentir-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o ponte é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Julieta Venegas

Como eu acredito que as coisas boas devem ser compartilhadas, fica aqui a sugestão para ouvir as músicas da mexicana Julieta Venegas. São muito bonitinhas. E hoje tem matéria do Rodrigo no Magazine sobre ela. Leiam em O Popular....hehee (a gente nunca resiste a essa piada infame!..rs).

http://www.youtube.com/watch?v=0ZfLiJYWqMo&feature=channel

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Para ser grande

Não me lembro bem, mas acho que já se passaram três meses desde que fiz um curso sobre internet nas eleições com uma publicitária. Achei ótimo aprender coisas novas, mas uma coisa me incomodou naquele dia. A palestrante ensinava como "bombar" na web, usando técnicas do marketing. Uma delas, para os usuários do Twitter, é que você nunca deve seguir pessoas mais do que é seguido. Isso é sinal de status. Depois disso, ela ensinou várias outras coisas para você ser "admirado", "seguido", "desejado". Sinceramente ela me convenceu de que quem sabe usar as técnicas do marketing pessoal vai se sair melhor na carreira, no amor, na vida. Mas eu fiquei me perguntando se vale a pena desperdiçar uma vida - que, até onde creio, é só uma - não sendo você de verdade. Só para aparecer para os outros. Daí eu me lembro de uma frase ótima que li numa seção da Revista O Globo, em que o homem dizia mais ou menos assim à vendedora: "Não compro algo que não quero para agradar pessoas de quem não gosto". Brilhante, né? Taí uma pessoa que eu admiro. Eu só me lembrei de tudo isso porque estava lendo o livro Divã, da Martha Medeiros, e me dei conta de que a gente só pode ser feliz se for por inteiro. Sério, eu achava que a felicidade era outra coisa. E me lembrei novamente de minha mãe contando esse fim de semana de um conhecido dela (Mauricinho, eu acho), que revelou que era gay numa época em que havia muito mais preconceito que hoje. Ela conta que ele era considerado um "pária" pela sociedade. Apesar dos preconceitos, ele viveu a vida que quis, foi inteiro, e imagino que é feliz. Há alguns dias atrás ele, que deve estar com uns 70 anos, foi homenageado em Goiânia com um pioneiro. Pioneiro na revelação da sua sexualidade, ou algo assim. Então, para homenagear essa que foi a grande descoberta do fim de semana (rs), fica um poema do Fernando Pessoa que resume tudo.

Ser grande

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.

Põe quanto és
No mínimo que fazes.

Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Puma

Depois de 13 anos comendo os pneus do carro, bebendo óleo de cozinha, pulando nas pessoas sem ter consciência do próprio tamanho, espantando ladrões, impondo respeito e pedindo carinho, minha cadela Puma morreu. E o pior de tudo isso é que não pôde ser uma morte natural, daquelas em que simplesmente se dá o último suspiro. Minha cadela estava velha e pegou uma doença chamada cinomose, que só ontem o veterinário informou que existe uma vacina e que é preciso imunizar o animal todo ano. Alguém sabia disso? Eu não. A Puma começou a perder os movimentos das patas e ela já não conseguia nem levantar. Além disso, começou a nos estranhar. A cinomose, pelo que pesquisei, é uma doença nos nervos. No fim das contas, optei por levá-la para ser sacrificada no Centro de Zoonoses. Queria que um veterinário tivesse feito isso, mas além de ele ter cobrado um absurdo queria enfiá-la num saco e esperar o caminhão da Comurg passar. Não muito diferente do Centro de Zoonoses - mas ao menos esse último não cobra nada. Será que não dá para melhorar esse sistema? Achei tudo muito triste. Mas por outro lado não vi outra opção além de sacrificar, porque ela estava sofrendo muito. Só que ainda não sei se fiz o certo. Ainda bem que não existe a opção de eutanásia no Brasil para seres humanos. Odiaria ter de passar pelo dilema de optar por colocar fim ao sofrimento de alguém ou agarrar-me ao último fio de esperança. Eu, que tenho medo do lado de lá, preferiria ter meu último fiapo de vida.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Aniversário em dia de Copa


O último aniversário na casa dos 20 foi com estreia do Brasil na Copa da África do Sul. Como eu esperava um placar de 5 a 0 contra a Coreia do Norte (como apostei no bolão), meu aniversário só pôde ser feliz graças aos amigos, à família e ao meu amado imortal. Se dependesse da seleção brasileira eu estava lascada. Mas podia ter sido pior: podia ter acontecido o que aconteceu hoje com a Espanha. É....fiquei feliz com 2 a 1...rs.

Achei ótimo o aniversário ser em dia de Copa, porque assim tive a desculpa perfeita por enfeitar a casa com balões, copos coloridos e bolo com a bandeira do Brasil. Foi muito bom recuperar o ânimo de comemorar esta data, porque no ano passado eu estava morreeendo de preguiça de tudo isso. E esse ano foi mega divertido, porque passei o dia cercada de gente que eu amo! Então obrigada aos presentes na festa, aos que se lembraram do meu niver mas não puderam estar comigo e aos que esqueceram mas me amam mesmo assim!

Ah! E cumprindo minha promessa, coloquei todas as fotos publicáveis no flick. O link está ali, onde fica mudando as fotinhas. Ou no www.flickr.com\elettry.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Eeeehhhhh




Agora sim. Eeeehhhhhh!!! Porque amigo é amigo e......(rs). Bem-vindo de volta, Sartorato! (Não sei por quanto tempo, mas já está de bom tamanho...rs).

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Encomenda

- Enquanto aguardo com ansiedade a encomenda que fiz na Saraiva (A Casa dos Espíritos + Mulher ao Quadrado + Os Segredos da Capela Sistina), estou lindo um livro bem mais ou menos que minha mãe comprou em 1992 pelo Círculo do Livro. Alguém se lembra do Círculo do Livro? Era um sistema até interessante, em que uma pessoa era indicada por algum sócio e, a partir disso, recebia uma revista com títulos a serem escolhidos. E esse sócio tinha de comprar um livro por período. Minha mãe deve ter participado desse Círculo do Livro até a falência da editora. Talvez, no fundo, eu tenha começado a me apaixonar pelos livros aí. Eu ficava na expectativa de receber a encomenda lá em casa. Por que me lembrei disso? Ah! O livro que estou lendo. Ruinzinho, tadinho...rs. Chama-se O Jardim das Ilusões. A história até que prende, como um roteiro de Hollywood, mas a literatura...Ai, é muito difícil.

- Olha que interessante, este ano meu aniversário será justamente no dia da estreia do Brasil na Copa do Mundo. Pela primeira vez em muitos anos estou ansiosa pelo meu aniversário. Talvez porque seja o último ano na casa dos 20! (Vou ter que deletar esse post...rs)

- E gente, tenha paciência comigo e meus posts que não dizem nada. Estou tentando manter isso aqui ativo, mesmo que aos trancos e barrancos (rs).

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Eu que não creio


Há alguns meses o Rodrigo escreveu uma matéria sobre ateus e agnósticos. Um dos entrevistados reclamava que sofria preconceito por ser ateu. A tal ponto que preferia dizer para a avó que não tinha religião mas que acreditava em Deus. Ontem na academia eu passei por experiência semelhante. Meu professor, que pelo que entendi é evangélico, me perguntou se eu ia à igreja. Eu, bobamente, respondi: "Não, eu não acredito. Na época que eu acreditava eu ia".

Primeiro veio aquele silêncio sepulcral dele e da aluna que estava por perto, seguido por olhares de reprovação. Diante disso eu quase falei: "Não, eu não acredito na igreja, mas acredito em Deus!". Eu estaria mentindo - simplesmente porque não sei se acredito ou não em Deus -, mas ao menos não estaria recebendo internamente aquela praga que todo crente (no sentido de "crer") te roga. Assim: "Quero ver no dia em que precisar de Deus, aí vai se lembrar que ele existe".

Pois é assim sempre, não é? É duro perceber o quanto as pessoas são intolerantes com assuntos que simplesmente não farão a menor diferença na vida deles. E eu nem digo que sou ateia ou agnóstica, porque no meu coração eu sinto que não sou nenhuma das duas coisas. Eu só não sei mais se acredito, não consigo chegar a um ponto de diálogo interior em que eu consiga chegar a uma conclusão. É até um pouco triste para mim, que sou de família católica.

Foi triste ir ao Vaticano, considerado um santuário para os católicos, e não sentir nem mesmo um arrepio. Apesar de tudo, ainda sou bastante ligada aos símbolos da igreja. Que saudade de rezar um terço! E como eu adoro uma igreja rica, as imagens de santos, o fato de um dia querer me casar na igreja! Mas sei que tudo que eu amo nos símbolos da igreja nada mais é que tradição e admiração estética. Eu não consigo dizer ao meu cérebro: "Volte a ter fé!". E nem sei se quero. Sinto falta de ser "espiritualizada", mas ao mesmo tempo me sinto livre não tendo uma religião.

domingo, 23 de maio de 2010

Pensando rápido

E eu que não consigo mais escrever neste espaço? E eu que não consigo mais ler um livro atrás do outro? E eu que nunca mais passei as tardes na livraria, sonhando em levar tudo? E eu que não planejei as férias de novembro? Tem alguma coisa errada, eu sei o que é, mas não consigo fazer nada por isso. E não estou triste, estou reflexiva - isso porque hoje estou de folga.

domingo, 9 de maio de 2010

Cavalgada

Poucas letras de música são tão bonitas, dizem tanto ao coração e conseguem ter duplo sentido com tamanha elegância quanto Cavalgada, do Roberto Carlos. É impossível não deixar a mente viajar...Perfeita.

Cavalgada

Vou cavalgar por toda a noite
Por uma estrada colorida
Usar meus beijos como açoite
E a minha mão mais atrevida
Vou me agarrar aos seus cabelos
Pra não cair do seu galope
Vou atender aos meus apelos
Antes que o dia nos sufoque
Vou me perder de madrugada
Pra te encontrar no meu abraço
Depois de toda cavalgada
Vou me deitar no seu cansaço
Sem me importar se neste instante
Sou dominado ou se domino
Vou me sentir como um gigante
Ou nada mais do que um menino
Estrelas mudam de lugar
Chegam mais perto só pra ver
E ainda brilham de manhã
Depois do nosso adormecer
E na grandeza deste instante
O amor cavalga sem saber
E na beleza desta hora
O sol espera pra nascer.

Para ouvir http://www.youtube.com/watch?v=VQimEYIwXDo

Uma semana para deixar as coisas no eixo

Me propus um desafio esta semana: colocar minha vida no eixo (não no Anhanguera, pelo amoooor de Deus!). Colocá-la no eixo significa basicamente:

- acordar mais cedo;
- começar a estudar;
- intercalar natação e musculação (e não dar o golpe numa em prol da outra);
- ler;
- comer melhor e beber mais água;
- economizar, economizar, economizar;
- e também economizar, economizar, economizar;
- dedicar mais atenção ao namorado;
- tentar me convencer de que preciso tirar a carteira de motorista;
- escrever, escrever, escrever (não apenas no jornal, claro);
- treinar o francês beaucoup;
- fazer o mínimo que uma mulher deve fazer: as unhas.

Bem, como vocês podem ver não são tarefas muito difíceis. Mas ultimamente estou indisciplinada até para estas simplicidades. De modo que só com bastante determinação vou conseguir entrar no eixo. Força, Erika, força!

E agora querem saber de um novo sonho para o futuro? Fazer esta foto aí, mas dentro da universidade. De preferência acompanhada desse jeito.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Fortaleza


Atendendo a inúmeros, insistentes e desesperados pedidos do meu amigo Fellipe (rs), vou atualizar o blog. E tenho um ótimo motivo para isso, já que passei a semana passada inteira em Fortaleza para cobrir um Festival de Moda.

Primeiro me surpreendi ao saber que não manjo nadica de moda. Sério, eu achei que ao menos na teoria eu entendia um pouco. Definitivamente a Política está tomando conta do meu ser sem que eu perceba. Mas, apesar de não sacar nada, achei ótimo acompanhar os desfiles. Confesso que foi divertido ficar na primeira fila e ver de perto a celulite das modelos....hahaha. A parte chata foi aguentar os gritos histéricos das adolescentes para atores e ex-BBBs. Se fossem minhas filhas...

Já o finalzinho da viagem foi dedicado ao turismo. Na quinta-feira, depois de escrever minha matéria nos 45 minutos do segundo tempo e correr atrás de fotos, fui com o pessoal conhecer o Theatro Municipal de Fortaleza. Adoro esse tipo de programa. Conhecemos o teatro por dentro e por fora e foi uma surpresa descobrir que ele tem duas fachadas. E a principal nem é aquela que todos conhecem.

O teatro é super pequenininho, mas é lindo. Visitamos os camarins, que abrigam pequenas exposições. Numa delas tinha uma exposição de bonecos que retratava a Inquisição. Pensa numa coisa mórbida, com todos os tipos de assassinatos estampados (fogueira, esquartejamento, empalamento...). Estranho, mas interessante. Ah! E o teatro completa 100 anos apenas dois dias depois do meu aniversário.

Já na sexta-feira foi dia de praia, claro. O nosso grupo foi para a Praia do Futuro, que tem uma infraestrutura ótima (até com piscina). E vendem comidinhas super baratas por lá, como lagosta a R$ 7, camarão a R$ 5, queijo assado...hum....E em Fortaleza eu experimentei até caranguejo, embora tenha passado vergonha na tentativa de quebrar suas patinhas.
Enfim, apesar de toda correria deu para aproveitar um pouquinho. Melhor seria se eu tivesse com meu amado ou meus amigos por lá. Mas em breve, quando novembro chegar, isso vai acontecer. E aí eu vou aproveitar muuuuito.

domingo, 18 de abril de 2010

Minha afilhada

Como muitos já devem saber, vou ser titia. Aliás, mais que titia: vou ser a feliz madrinha da filha da minha irmã. Em geral sou péssima com crianças - não seguro direito, não sei trocar fraldas, não consigo acompanhar o ritmo frenético delas e, incrível!, elas me deixam muito tímida. Mas é engraçado. Quando a gente sabe que essa criança vai fazer parte da nossa família, da nossa história, a situação é diferente. Já estou ansiosa pelos dias que vou passar com ela quando minha irmã e o marido quiserem namorar. E sei que não vou fazer feio, que vou aprender tudo rapidinho e ser uma madrinha coruja, que vai fazer de tudo para atender os desejos dela. Ela vai nascer com cara de joelho, mas vou achar que ela é a menina mais linda do mundo. Ela vai chorar quando eu for cuidar dela, mas aí nessa hora eu vou chamar minha mãe para acalmá-la - pra tudo na vida tem limite, né? Brincadeira (rs). O complicado é que ela vai nascer em véspera de eleições, quando ainda não sei nem se terei tempo de pentear meus cabelos. Mas seja o que Deus quiser. O Enéas pode ressuscitar, concorrer aqui em Goiás e ganhar a eleição que vou dar um jeito de ficar bastante tempo com ela. Que setembro chegue logo!

sábado, 3 de abril de 2010

Para não abandonar

* Me recuso a deixar esse espaço abandonado. Então, apesar de não estar inspirada, vou escrever quelque chose. Hum....Terminei de ler um livro ótimo: A Flor da Inglaterra, de George Orwell. É a primeira vez que leio um livro estrangeiro em que eu reconheço os cenários. Picadilly Circus, Leicester Square...eu fui! (rs). Doesn't matter. Voltando ao livro. É muito engraçado, e duvido muito que todos nós não nos reconheçamos em algum momento em Gordon Comstock e sua vida pequeno-burguesa guiada pelo dinheiro. Gordon e sua implicância com as aspidistras. Sério, eu acho que tenho talento para encontrar livros bons. Fica a dica para quem quiser se deliciar com uma literatura engraçada sobre o mau humor.

* Agora volto firme no propósito de ler mais um livro em francês. Pulei da faixa da edição super facilitada para uma apenas facilitada. Estou compreendendo bem. Agora só me falta usar isso para fazer construções orais. A parte mais difícil é essa. Afinal, sempre gostei mais de ler do que de falar. Vai ser complicado. Mas eu chego lá. O livro é um romance policial chamado Maigret et la vielle dame. Como o livro tem algumas fotos, creio que ele já virou um filme. Pensei até que fosse Conduzindo Miss Daisy, mas não tem nada a ver.

* Nesse exato momento estou em Pires do Rio com o Rodrigo, ouvindo música sertaneja, tomando um caldinho e esperando o churrasco. É aniversário da minha sogrinha querida. E quem ganha o presente somos nós! (rs). Aqui sim eu consigo descansar. Pires, Pires....Isso é que é cidade!!!!

* Sem mais comentários, queridos pescoços!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Filmes de época


Tirei dois dias de folgas merecidas (que acabaram hoje) e tive tempo de assistir dois filmes de época muito legais. O primeiro, El Cid, é com a atriz Sophia Loren e só assisti para ver se ela era bonita de verdade (e era). O segundo - o mais legal - chama-se Quo Vadis e se passa na época de Nero. O ator faz um Nero muito engraçado, totalmente sem personalidade. Mas a parte mais legal do filme é a cena do suicídio de Petronius. Antes de morrer ele dita uma carta destinada ao imperador incendiário. Não sei o que é realidade e o que é ficção, mas o filme descreve Nero como um apaixonado por arte que se julga com bastante talento. E que queima Roma para se inspirar e compor uma canção. Olha que engraçada a despedida de Petronius:

"Ser nascido em seu reinado é um equívoco, mas morrer nele é uma alegria. Incendeie cidades, mate cristãos, cometa incestos, mas Nero, por favor, um conselho último: não mutiles mais as artes, suas operetas de segunda. Não envergonhes mais esta Roma amada que tu tentas destruir, e jamais te perdoarei por isso. Não componhas mais músicas, é meu último pedido. Adeus".

ps: Quo Vadis significa Para Onde Vais

segunda-feira, 22 de março de 2010

Insônia


Há algumas semanas comecei a sofrer com a insônia. Vou me deitar e o cérebro não desliga. Fica pensando na matéria que fiz, nos nós que vou ter de desatar no dia seguinte, nos projetos para o futuro que estão ficando cada vez mais deixados de lado... Nunca tinha sofrido com insônia, mas posso dizer que é uma coisa irritante. E que está comprometendo muito minha qualidade de vida. Sabe, eu devo ser a única pessoa no mundo que consegue ter pressão baixa e insônia ao mesmo tempo...São duas coisas que, teoricamente, não deveriam estar juntas. Mas como boa Pollyanna que sou, penso que se não fosse pela pressão baixa minha situação seria ainda mais periclitante. Para quem sofre do mesmo mal, vão aí algumas dicas que passarei a experimentar hoje.

- Evitar fumar e tomar café, chá preto, refrigerantes à base de cola e qualquer item que contenha cafeína ou nicotina
- Evitar refeições pesadas antes de dormir
- Fazer exercícios físicos, de preferência pela manhã
- Tomar um banho morno pouco antes de dormir
- Fazer uma refeição leve (por exemplo, leite ou derivados), pouco antes de dormir
- Evitar TV ligada, relógio, luz, barulho e qualquer tipo de distração dentro do quarto
- Se não conseguir dormir após 20 a 30 minutos, não fique tentando, saia do quarto e se distraia, lendo, por exemplo
- Nunca leve problemas, angústias e preocupações para a cama, tente resolvê-los ao longo do dia.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Aniversário do ami


Hoje é aniversário do meu grand ami Eduardo Sartorato, que quebrou o pacto e foi para Londres mais cedo. Como ele não está aqui para receber aquele abraço e o presentinho sem criatividade que todo homem recebe, faço uma singela homenagem. É ao estilo daquelas figurinhas Amar É..., só que vou trocar por Ser Eduardo É...

-
Ter um coração enorme, onde cabe todo mundo;
- Lembrar sempre dos amigos, mesmo quando estão a quilômetros de distância;
- Ser um líder natural;
- Ser extremamente determinado e alcançar todos os objetos aparentemente inalcançáveis;
- Estar presente nos melhores momentos da sua vida;
- Estar presente também nos momentos tristes, para oferecer o ombro amigo;
- Ocupar-se de todos os detalhes chatos de uma viagem, deixando que os amigos folgados apenas curtam o momento;
- Esconder bem o talento na cozinha, só revelando no último minuto;
- Fazer as macarronadas mais deliciosas que a Itália já inventou;
- Não ter frescura de sair apenas com o casal amigo;
- Procurar restaurante chinês em qualquer país;
- Viver sempre conectado na internet;
- Saber ouvir com atenção e interesse suas novidades;
- Não se incomodar com a pergunta clássica: "O que você conta de novo";
- Ser sempre fiel aos amigos;
- Ter paciência para ouvir 200 vezes a mesma história que a desmemoriada já contou;
- Ser legal, mas também saber ser bravo quando é preciso (já presenciei!);
- Te passar cola quando você é neófita em Política;
- Ter tantas qualidades que fica até difícil enumerar.

Então é isso, só um resuminho de suas inúmeras qualidades. E quero também desejar muitas felicidades e que você continue sendo exatamente como você é, só que com mais dinheiro e com o inglês na ponta da língua (rs). Feliz Aniversário!

domingo, 14 de março de 2010

Aprendendo

- Ontem participei de um curso interessante sobre Redes Sociais nas Eleições. Tinha até me esquecido como é bom aprender coisas diferentes. Toda vez que isso acontece surge uma imagem na minha cabeça: a dela sendo aberta a "marretadas" para caber algum tipo de conhecimento. Sei que é uma imagem estranha, mas juro que sempre penso nela. Fiquei realmente com saudade da faculdade, de estudar, me especializar em algo que, de preferência, será útil no meu dia-a-dia. Adorei o currículo da palestrante, que fez graduação em Engenharia e depois fez pos-graduação em Design Gráfico e agora é Doutoranda em Artes. Quero imitar!

- Uma pequena vitória que me deixou feliz um dia inteiro: consegui ler (e entender) meu primeiro livro em francês. É verdade que é edição super facilitada, mas é assim que a gente chega lá. O livro se chama La Reine Margot. E agora estou lendo um do Jules Vernes, o Autour de La Lune. Como adoro aprender francês! Só pela alegria já vale o gasto.

- Essa semana tive acesso a um relatório da empresa que traça o meu perfil profissional. Depois que li, trabalhei feliz da vida. Porque o meu perfil lá é bem legal. A minha principal característica profissional é a facilidade de lidar com as pessoas e a importância que dou aos relacionamentos. Quem me analisou acha que sou muito enturmada.

- Estava me lembrando aqui do dia em que o Fellipe e eu tentamos ser adultos, tomando café juntos no Bouganville (rs). Será que agora a gente já conseguiu?

sexta-feira, 12 de março de 2010

Da chegada do amor

(Elisa Lucinda, lendo meus pensamentos)

Sempre quis um amor
que falasse
que soubesse o que sentisse.

Sempre quis uma amor que elaborasse
Que quando dormisse
ressonasse confiança
no sopro do sono
e trouxesse beijo
no clarão da amanhecice.

Sempre quis um amor
que coubesse no que me disse.

Sempre quis uma meninice
entre menino e senhor
uma cachorrice
onde tanto pudesse a sem-vergonhice
do macho
quanto a sabedoria do sabedor.

Sempre quis um amor cujo
BOM DIA!
morasse na eternidade de encadear os tempos:
passado presente futuro
coisa da mesma embocadura
sabor da mesma golada.

Sempre quis um amor de goleadas
cuja rede complexa
do pano de fundo dos seres
não assustasse.

Sempre quis um amor
que não se incomodasse
quando a poesia da cama me levasse.

Sempre quis uma amor
que não se chateasse
diante das diferenças.

Agora, diante da encomenda
metade de mim rasga afoita
o embrulho
e a outra metade é o
futuro de saber o segredo
que enrola o laço,
é observar
o desenho
do invólucro e compará-lo
com a calma da alma
o seu conteúdo.

Contudo
sempre quis um amor
que me coubesse futuro
e me alternasse em menina e adulto
que ora eu fosse o fácil, o sério
e ora um doce mistério
que ora eu fosse medo-asneira
e ora eu fosse brincadeira
ultra-sonografia do furor,
sempre quis um amor
que sem tensa-corrida-de ocorresse.

Sempre quis um amor
que acontecesse
sem esforço
sem medo da inspiração
por ele acabar.

Sempre quis um amor
de abafar,
(não o caso)
mas cuja demora de ocaso
estivesse imensamente
nas nossas mãos.

Sem senãos.

Sempre quis um amor
com definição de quero
sem o lero-lero da falsa sedução.

Eu sempre disse não
à constituição dos séculos
que diz que o "garantido" amor
é a sua negação.

Sempre quis um amor
que gozasse
e que pouco antes
de chegar a esse céu
se anunciasse.

Sempre quis um amor
que vivesse a felicidade
sem reclamar dela ou disso.

Sempre quis um amor não omisso
e que suas estórias me contasse.

Ah, eu sempre quis uma amor que amasse.

Ps: Eu te amo muito

sexta-feira, 5 de março de 2010

Mordaça

Tudo o que mais nos uniu separou
Tudo que tudo exigiu renegou
Da mesma forma que quis recusou
O que torna essa luta impossível e passiva
O mesmo alento que nos conduziu debandou
Tudo que tudo assumiu desandou
Tudo que se construiu desabou
O que faz invencível a ação negativa

É provável que o tempo faça a ilusão recuar
Pois tudo é instável e irregular
E de repente o furor volta
O interior todo se revolta
E faz nossa força se agigantar

Mas só se a vida fluir sem se opor
Mas só se o tempo seguir sem se impor
Mas só se for seja lá como for
O importante é que a nossa emoção sobreviva
E a felicidade amordace essa dor secular
Pois tudo no fundo é tão singular
É resistir ao inexorável
O coração fica insuperável
E pode em vida imortalizar

quarta-feira, 3 de março de 2010

Da pá virada

Ai, como é bom chutar o pau da barraca! Decidi mudar de vida e hoje testei minha porção barraqueira. Light, é verdade, porque não é de um dia para o outro que a gente esquece a educação que recebeu em casa. Mas gostei dos resultados. O Rodrigo sempre me disse que eu seria mais respeitada se soubesse me impor. É verdade. E testei esse meu novo lado num momento clássico: o de cobrar os direitos como consumidora. Por que o Tese Concursos acha que eu sou obrigada a pagar por um serviço que não será prestado? Explico: estava fazendo um cursinho básico e decidi parar (no caso, eu queria fazer outro mais específico). Daí fui informada que os cheques que havia deixado lá seriam descontados, assistindo aulas ou não. Isso mesmo depois deles calcularem que minha dívida era menor do que os cheques deixados. Eles inventaram então uma fórmula: eu usaria o "crédito" em algum outro curso do Tese. Ou seja, eu seria obrigada a usar um serviço mesmo que eu não quisesse. Piada, né? Isso é contrato para lá de abusivo. O que eu sei que é minha obrigação é pagar uma multa contratual que deveria ser bem especificada, mas não sou obrigada a pagar por um serviço não prestado. Fica aqui a dica. E minha revolta. E minha alegria por ter chutado o pau da barraca. Muito bom!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Casamento...que romântico!....rs

Então é isso. O último solteiro resistente da família se casou no sábado. O amor está no ar!...hehehe. Meu irmão Murilo (que só eu posso chamar de Cirilo) se casou com a Tessália no sábado, numa cerimônia linda e cheia de amigos. O Rodrigo e eu fomos padrinhos chiquérrimos (e modestos). E aí, será que sirvo para ser colunista social?...rs. Muitas felicidades para o casal! Espero ter muitos sobrinhos para apertá-los....rs.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Pequeno desabafo

Sei que eu estive ausente do blog, mas tudo na vida tem uma boa explicação. E a explicação - que, na verdade, não é boa - é que um grande desânimo se apoderou de mim, como nunca antes na história recente da minha vida. Sabe aqueles momentos em que tudo te chateia? Pois é, estou assim. Tenho algumas explicações lógicas que não convém dizer, e outras não tão lógicas assim. O importante nisso tudo é que já diagnostiquei que existe um problema e estou quebrando a cabeça para pensar o que posso fazer para deixar tudo colorido de novo. Talvez o que esteja faltando seja mais poesia e menos responsabilidade. Mais reconhecimento e menos pressão. Mais diversão e conversas fiadas. Enquanto busco uma solução, vou tentar ler uns poemas, assistir filmes inspiradores, ouvir música, mergulhar em arte. Com certeza a vida da gente fica melhor quando tem beleza. Então é isso. Momento desabafo. Até a próxima.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Os Lettry e minha futura cidadania

De repente, não mais que de repente, me vejo totalmente obcecada com a ideia de tirar minha cidadania italiana. A culpa, claro, é do Eduardo. Ele conseguiu tirar a dele no ano passado. Por causa disso, tenho pesquisado bastante sobre os Lettry na internet. Ainda não fiz grandes progressos, mas encontrei muito mais Lettrys pelo mundo do que supunha existir. Talvez a gente até tenha algum parentesco, vai saber...Encontrei Lettrys que partiram da Itália rumo aos EUA. Encontrei Lettrys na França, Espanha, Argentina...De concreto sobre minha família só mesmo uma pequena biografia do meu tio-avô Jorge Lettry (que não conheci). Na biografia consta que meus bisavós Adolfo e Onorina chegaram em Santos em 1931, vindos da região de Piemonte, província de Turim e cidade de Ivrea. Mas o que não consta dessa história, e que eu sei de ouvir falar, é que antes de desembarcarem no Brasil eles moraram em Santa Fé, na Argentina, onde meu avô Aldo Lettry nasceu. Ainda tenho muita pesquisa pela frente. Mas é muito bom tentar reconstruir a história da minha família. Para quem quiser pesquisar, um site muito legal é o www.familysearch.org. Vou precisar sair do campo da internet para obter os documentos que preciso. Existem duas capelas mórmons em Goiânia onde é possível pesquisar microfilmes de documentos pessoais. Tenho descoberto muitas coisas interessantes. E é isso. O plano número um é ir nas minhas férias para Itália tentar tirar a cidadania. Se não der certo ($$$$), adio para o ano que vem. Só sei que quero virar italiana. E logo.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Natal dos Amigos

Avaliando os dez primeiros dias do ano, cheguei à conclusão de que este será o ano dos amigos. Consegui me reunir com eles várias vezes em um curto período de tempo. Saímos para jantar, fofocar, ir ao cinema e para comemorar o Natal dos Amigos. Tudo isso em dez dias! Há muito tempo eu tentava e não conseguia realizar essa proeza.

O Natal dos Amigos foi ontem, na casa da Lian. Aliás, não posso deixar de dizer que gosto muito de ir na lá porque tem os quadros lindos do Tai (que, não por acaso, é pai dela...rs). Mas é óbvio que o melhor mesmo são as companhias. A Lian - minha amiga e companheira da temporada que passei no Rio de Janeiro - é uma das pessoas mais inspiradoras que conheço. E deixa qualquer festa divertida, mesmo tendo de recorrer às músicas da Xuxa (5 pontos pra mim!...rs).

O mais legal é que a cada ano mais pessoas vão se agregando. Primeiro levei o Eduardo, depois a Ana e agora o Apolo (filho fofo da Geórgia) é também presença constante. Bem, só queria dizer que amo muito tudo isso e espero que a tendência iniciada no ano perdure. Porque estar com os amigos é bom demais!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Mais do mesmo

A viagem para Europa ainda vai figurar por aqui muitas e muitas vezes...rs.







sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Ano novinho em folha

Eba, um ano novinho em folha!!! Novas oportunidades, novos rumos, vida nova! Que este ano seja de muita felicidade e saúde, que é tudo que a gente precisa.

Comecei o ano ao lado do Rodrigo, do Eduardo e dos pais dele. Acho que do prédio do Eduardo vimos os fogos de artifício de toda Goiânia. Foi lindo demais, há muitos anos não conseguia passar o réveillon vendo os fogos. Quase Copacabana!...rs.

Depois nos juntamos ao Renato, a Maria Cristina e a família dela. Resumindo minha superstição (rs): vai ser um ano de boas companhias, comida e vinho gostosos, tranquilidade, felicidade e soninho (para variar não consegui me aguentar e dormi meio cedo...rs).

E já começo o ano cheia de boas expectativas. Vão aí os meus desejos para 2010 (daqueles que eu posso publicar):

- Tirar cidadania italiana (isso vai depender do DM me pagar, e tenho esperança que isso vai acontecer);
- Voltar para o francês ou começar aulas de italiano;
- Tirar carteira de motorista (não é bem um desejo, mas é que a pressão está grande);
- Tentar o mestrado (acho que estou viajando um pouco, levando-se em consideração que este é ano de eleição e trabalho em Política);
- Viajar para praia nas férias.

Os desejos impublicáveis são os mais importantes. Mas é que é preciso começar o ano com prudência...rs. Feliz 2010!!!