quinta-feira, 14 de agosto de 2014

O meu ano do cavalo



Eu não sabia, mas aparentemente tudo já estava preparado. A Lian comentou isso em um texto maravilhoso no blog dela (http://bolhinhasdalian.blogspot.com.br/). O ano passado, da Serpente, foi o ano que me obrigou a sair do meu conforto e encarar a escuridão, usando as palavras dela. Eu sempre fui tão cética em relação a tudo isso mas, agora, vejo como as coisas se encaixam. E no ano passado tive mesmo de me deparar com alguém que eu não conhecia, com situações que nunca esperei vivenciar e foi tudo muito, muito difícil. Eis que 2014 chega e, bom, só pensei que seria o momento de viver com um pouco mais de tranquilidade. Mas eu devia ter lido sobre o ano do cavalo. É sério. E vou gravar bem isso para quando, em 2026, ele retornar. Este ano veio a galope - e, não podendo me expressar tão bem quanto a Lian, roubo de novo as palavras dela. E só no meu último momento como larápia de pensamentos: foi o ano de cair todas as máscaras. A dinâmica de 2014 está tão forte, são tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo, que o fato de ainda estarmos em agosto me inquieta muito. Mas, ao mesmo tempo, que 2014 fascinante para mim! Como a vida pode ser dinâmica e interessante! Como a gente aprende a rever conceitos e enxergar a verdadeira essência das coisas! O ano ainda não acabou mas para mim já é inesquecível. Em tudo que já teve de ótimo e ruim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário